Christiania - O vilarejo livre e anarquista no coração do capitalismo europeu


Entrada de Christiania

Copenhagen, capital da Dinamarca e uma das cidades mais conhecidas da Escandinavia.

É sem dúvidas um lugar de primeiro mundo.

Lá, tudo funciona perfeitamente: o principal meio de transporte são as bicicletas; tanto para faxineiros quanto para CEOs. A cidade tem um dos maiores IDHs do mundo. A educação é completamente gratuita, e de qualidade. Também não se paga por hospitais e médicos. As pessoas são educadas umas com as outras. Você pode andar sozinha de madrugada por uma rua vazia que não vai sentir o menor receio. Todo mundo recicla. Prédios modernos contrastam com a arquitetura histórica escandinava.

Imaginaram a cidade?

Agora imaginem, no centro desse capitalismo europeu, um vilarejo hippie, anarquista, livre e alternativo.

Completamente destoante do resto da cidade.

Cheio de grafite, música, bares escuros, pistas de skate, cachorros de rua, pessoas fumando maconha e artesanatos a venda.

Esse lugar é Christiania.

Christiania fica no centro de Copenhagen e é considerada independente da Dinamarca; tanto que, ao entrar lá, a primeira coisa que você vê é uma plaquinha escrita: "You’re now leaving the EU" (Você está saindo da União Européia).

E o contraste é tanto que realmente parece que você está saindo do país.

Quase mil pessoas vivem em Christiania. A cidade não tem nenhum tipo de hierarquia ou líder, todos são igualmente responsáveis pelo bem-estar da comunidade.

Não tem governo, prefeito, leis, nada. Todo o serviço que deveria ser feito por um suposto governo - como limpeza das ruas, manutenção dos serviços básicos, coleta e reciclagem de lixo, rede de esgoto - é realizado pelos próprios moradores, e tudo é decidido a partir de reuniões.

Policiais não entram lá.

Os habitantes são livres para fazer o que quiserem e, pasmem: funciona.

No entanto, um dos maiores atrativos de turistas para a cidade livre não é a originalidade da cidade - poucas pessoas se importam em conhecer a história e a parte sociopolítica de Christiania - mas sim o livre comércio de maconha.

Sabem essas feirinhas de praia ao ar livre, onde cada comerciante tem sua barraquinha de madeira na qual vende seus produtos? Agora, ao invés de artesanatos, imaginem todos os tipos de maconha sendo vendidos nessas feirinhas.

Christiania é assim.

Antes que vocês me perguntem, a maconha não é legalizada na Dinamarca. Se alguém for pego fumando na rua, será preso igual aqui no Brasil (quer dizer, igual não é, com certeza com menos violência, preconceito e mais direitos; mas enfim, não é esse o foco). Mas em Christiania é como se fosse, porque é vendida livremente sem nenhum problema ou intervenção policial - mas cuidado ao sair da cidade pois é comum que tenham policiais esperando do lado de fora, afinal eles não podem entrar em Christiania.

Já deu pra perceber que o lugar é o paraíso de qualquer hippie ou simpatizante, né? rs.

Para não dizer que não existem leis na cidade, na verdade existem três:

1. Não é permitido fotografar - para que não hajam provas da venda de drogas, apesar de todo o mundo já saber (todas as fotos nesse link foram pegas na internet).

2. Não é permitido o uso de drogas pesadas - para que a comunidade não tenha mais problemas com o governo.

3. Não é permitido correr - para que ninguém pense que seja uma batida policial, o que raramente acontece.

Pra mim, a melhor parte de Christiania é a arquitetura. As casas foram todas construídas pelos moradores, o que faz com que todas sejam diferentes entre si; é uma mais maluca que a outra.

A minha casa preferida em Christiania

Seria um sonho morar num lugar como esse, né? Qualquer pessoa pode morar lá, porém, infelizmente existe uma lista de espera de mais de 20 anos para isso.

Mas, como surgiu Christiania?

Christiania foi criada no começo dos anos 70; quando um grupo de hippies decidiu se instalar em uma antiga base militar de Copenhagen, a qual já havia sido desativada e estava abandonada. O grupo se declarou livre da Dinamarca e da União Européia, livres de impostos e com suas próprias leis. A cidade tem, inclusive, sua própria bandeira.

Por duas décadas Christiania teve problemas com o governo dinamarquês, o qual não aceitava que fosse formado um 'novo país' dentro de Copenhagen.

A policia dinamarquesa tentou, diversas vezes, expulsar os moradores da área, todas sem sucesso.

Foi só em 1992 que um acordo foi finalmente assinado.

E os moradores de Christiania mostraram para o povo da Dinamarca que era possível sim uma cidade livre funcionar.

Agora, em 2016, Christiania completa 45 anos de existência.

Bandeira de Christiania

#viagem #christiania #copenhagen #dinamarca #anarquismo #anarquista

Amanda Areias

Programadora e designer gráfica por profissão, viajante por paixão e feminista por necessidade.​

Mochileira desde os 17 anos, sempre em busca de lugares, culturas e pessoas novas.

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon