Amanda Areias

Programadora e designer gráfica por profissão, viajante por paixão e feminista por necessidade.​

Mochileira desde os 17 anos, sempre em busca de lugares, culturas e pessoas novas.

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon

Minha - mais curta do que eu gostaria - viagem ao Peru

September 29, 2017

Minha viagem ao Peru foi uma continuação do Atacama e da Bolívia; os planos eram passar cerca de 2 semanas lá, conhecendo os principais pontos do país, entre eles Huaraz, Huacachina, Arequipa e muito mais, mas infelizmente tive alguns problemas pessoais no Brasil e tive que voltar correndo pra cá. Consegui conhecer Puno e Machu Picchu (ufa, ia ficar bem brava se deixasse o Peru sem passar por Machu Picchu).

 

 

Puno

 

Passei apenas um dia em Puno, não cheguei nem a dormir. Gostei muito da cidade dos Uros por fotos e, contrariando todos que me diziam que não valia a pena conhecer a cidade ao vivo, fui mesmo assim. Todos estavam certos, Puno não é nada demais.

 

Vou explicar qual é o ponto principal do lugar para os que não conhecem: Os Uros são um povo indígena peruano que vivem numas ilhas artificiais perto de Puno.
As “Islas flotantes de los Uros” são essas ilhas que eles construíram artificialmente com uma planta chamada ‘totora’. É muito interessante sim, e eu adoraria passar uns dias acampando com eles nessas ilhas; o problema é que o passeio é extremamente turístico. 

 

Foto: goo.gl/6vAWyF

Um barco sai de Puno e te leva até uma dessas ilhas onde os habitantes locais (os Uros) te contam um pouquinho de como é a vida deles, depois eles te empurram mil e um souvenirs para comprar enquanto suas esposas e filhas cantam para vocês. Tudo muito forçado.


Se você é teimosa como eu e ainda quer conhecer, vá sim. Mas não passe mais do que um dia na cidade. Eu, por exemplo, cheguei de manhã vindo de La Paz, passei o dia na cidade e no fim da tarde ja embarquei no ônibus pra Cusco (sim, aquele ônibus que tentaram enfiar droga na minha mochila kk)

 

 

Cusco

 

Depois de dias e dias passando por cidades como La Paz, Puno e Uyuni, Cusco foi como um oásis pra mim. A cidade é linda, tem mil e um restaurantes gostosos (e baratos!), vários hostels, muita história e muito mais. Tava até me sentindo em casa de tão bem que eu fiquei lá.

Me hospedei no hostel Pariwana Hostel (recomendo) e comi pelo menos duas vezes em um restaurante chamado The Green Point, que um amigo da República Dominicana que eu conheci por lá me levou. O restaurante é uma delícia, pratos vegetarianos, super baratos e MUITO bons, mas não me perguntem como chegar lá porque eu realmente não sei. Não ficava no centrinho turístico e eu não conseguiria chegar lá sozinha nem quando estava na cidade, kkk.

 

Foto: goo.gl/B3iRRS

Bom, como eu já disse anteriormente, tive tempo de fazer somente Machu Picchu em Cusco, mas já tinha fechado vários outros passeios e tinha pagado super barato por eles.
Fechei, por 435 soles: Machu Picchu (acomodação e transporte), Rainbow Mountain (o passeio que eu mais fico triste por não ter conseguido fazer), Maras y Moray, City Tour histórico por Cusco y Valle Sagrado. Todos com almoço e transporte inclusos. 

 

Esse pacote não teria saído por menos de mil soles caso fosse fechado com alguma agência pela internet; por isso eu sempre digo: feche os passeios quando tiver chegado na cidade.

Bom, esse foi um pequeno resumo da minha - curta :( - viagem ao Peru. Também escrevi sobre como chegar a Machu Picchu e sobre o perrengue que eu passei em um ônibus no país. Confiram.

Please reload

Como criar um projeto social

August 1, 2019

Se eu pudesse te dar um conselho...

February 7, 2018

Você é insignificante

November 16, 2017

Por que você tem tanto medo?

October 3, 2017

1/6
Please reload

Outros posts:

Acompanhe a autora pelo seu instagram: @amandaeareias