Amanda Areias

Programadora e designer gráfica por profissão, viajante por paixão e feminista por necessidade.​

Mochileira desde os 17 anos, sempre em busca de lugares, culturas e pessoas novas.

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon

Curiosidades Dinamarca


Em 2013 a faculdade que eu estudava anunciou que eles tinham iniciado uma parceria com uma faculdade de Copenhagen, e que estavam selecionando dois estudantes para irem passar um semestre lá. Me inscrevi na seleção e, contra todas as minhas expectativas, passei.

"Ok, então eu to indo pra Dinamarca, é isso mesmo produção?" Não imaginei que fosse passar, e não imaginei que realmente fosse conseguir ir. Também não sabia basicamente nada sobre esse país, somente que era algum lugar muito gelado no norte da Europa. Bastou algumas rápidas pesquisas pra eu também descobrir que, além de gelado, também era um lugar caro; então arrumei um emprego, juntei um dinheiro e no dia 20 de janeiro de 2014 eu estava embarcando para Copenhagen. A Dinamarca me surpreendeu muito positivamente. Como vocês já devem imaginar, é um lugar extremamente desenvolvido; tanto que chamam a Escandinávia de Europa da Europa. Também é um lugar - como qualquer outro - com algumas peculiaridades, segue uma lista com algumas:

- A Dinamarca já foi eleita o "País com mais pessoas bonitas no mundo". E não é a toa. Todo mundo lá é absurdamente bonito (seguindo os padrões de beleza convencionais, lógico). Você anda na rua e acha que está em um evento da Fashion Week e - consequentemente - acaba se achando um pouco feia e sem graça rodeada de tanta gente loira, de olho azul, alta, estilosa e magra. Até as crianças são mais bonitas que você.

- Outro ranking onde o país já pegou primeiro lugar, foi "País com menos corrupção no mundo". Por isso que as coisas dão tão certo lá né. Não existe médico nem escola particular, é tudo grátis. E a qualidade é ótima

- É super comum você encontrar carrinhos de bebê (com o bebê dentro) nas calçadas de Copenhagen, sem ninguém tomando conta. É sério, ninguém acredita em mim quando eu conto isso. É normal os pais deixarem seus bebês sozinhos em seus carrinhos nas calçadas e entrarem em lojas, supermercados, padarias, etc. Principalmente em dias de sol, o que é raro acontecer por lá, então as mães e os pais deixam seus filhos de meses tomando sol sozinhos na rua, e vão fazer suas coisas.

Foto: goo.gl/KqGzcQ

- Em Copenhagen, existem mais bicicletas do que pessoas. Lá não tem essa de que o pobre vai de ônibus trabalhar enquanto o rico vai em seu carro blindado; vão todos de bicicleta, juntos. Tem até trânsito de bike por lá, de tanta bicicleta que tem nas ciclovias. Mas por quê tem mais bicicleta do que pessoa? Porque a maioria dos habitantes tem duas bicicletas: uma pra neve e outra para quando não está nevando.

- Aliás, pelo fato da bicicleta ser o principal meio de transporte por lá, eles levam isso muito a sério. Então é necessário saber andar direito. Não vá pela pista da esquerda caso ande devagar, dê sinal quando for virar, dê sinal quando for parar, não use as ciclovias para nada além de andar de bicicleta e por aí vai. Siga as instruções e ande como um dinamarquês ou você será xingado.

- Ainda sobre as bikes: existe uma policia em Copenhagen que fica dando voltas pela cidade procurando bicicletas que estão abandonadas. Caso encontrem uma bike que está há muito tempo no mesmo lugar, eles colocam uma faixa nela que indica que qualquer pessoa pode pegar a bicicleta para si mesma. Mas não fique muito esperançoso pois, além de ser raro encontrar bicicletas abandonadas, quando elas são encontradas e 'enfaixadas' pelos policiais, não demora nem cinco minutos pra alguém ver e pegar.

- Aqui no Brasil é comum policiais reprimirem o skate em lugares públicos, enquanto o site da policia dinamarquesa - quando eu morava lá - tinha como foto principal um policial dando um Ollie.

- Aliás, lá o skate é super incentivado. Além de dezenas de pistas espalhadas pela cidade, Copenhagen é inteira desenvolvida para o esporte. Já ouvi falar que, cada vez que alguma obra vai ser feita por lá, eles contratam um skatista profissional para avaliar se a obra é "skatable".

- É super comum encontrar móveis em perfeito estado jogados na rua, como lixo. Muitos amigos meus por lá tinham seus apartamentos quase inteiramente decorados com móveis que haviam sido encontrados nas lixeiras da cidade.

- A Dinamarca tem uma família real e os dinamarqueses simplesmente amam a rainha. Mas, ao mesmo tempo, não a veneram como muitos fãs costumam fazer com famosos aqui no Brasil. A rainha anda pela cidade normalmente, sem ser assediada. Inclusive, um amigo meu brasileiro que mora lá comentou comigo que já a viu passeando com o seu cachorro na rua duas vezes, sem ser importunada por ninguém, como se fosse uma pessoa qualquer.

- Christiania é provavelmente a curiosidade mais interessante de Copenhagen. Um vilarejo hippie e anarquista, com cachorros de rua, casas estranhas e venda aberta de maconha (em um país onde a maconha é proibida) literalmente no centro de uma das cidades mais desenvolvidas do mundo. Christiania vale uma matéria inteira pra ela. Confira aqui: Christiania - O vilarejo livre e anarquista no coração do capitalismo europeu.

- O primeiro estúdio de tatuagem do mundo está em Copanhagen.

- A Dinamarca tem uma lista de 7mil nomes pré-aprovados que os pais podem escolher para nomear seus bebês. Caso você queira que seu filho tenha um nome que não está na lista, você precisa pedir uma permissão especial para o governo, e não é certeza que ele será aceita. Ou seja, nada de Feicibukisson, Um Dois Três de Oliveira Quatro e essas bizarrices que a gente encontra vez ou outra pelo Brasil

- As pessoas usam os cemitérios como se fossem parques. Vão para passear, ler, fazer piquenique, tomar sol, etc. Eu, inclusive, sempre ia ler sozinha num cemitério perto de casa quando morava lá.

- O país possui o sétimo melhor sistema de educação do mundo e também é o terceiro que mais investe no setor. O formato de ensino estimula os alunos a resolver problemas, pensar de forma independente, criar rigor analítico e se expressar.

- O país tem uma baixa taxa de natalidade. É comum você ver propagandas em todos os lugares incentivando às pessoas a fazerem sexo e gerarem bebês.

- A Dinamarca é um dos países mais igualitários do mundo, ocupando a 5ª posição no Índice Global de 2014. O número de homens e mulheres no mercado de trabalho é quase o mesmo e, em 2014, elas chegaram a receber uma média salarial anual maior do que a dos homens. O país também tem um dos menores índices de desigualdade de renda do mundo, os 20% mais ricos ganham em média quatro vezes mais do que os 20% mais pobres.

- A Dinamarca também foi eleita o segundo país mais seguro do mundo. Para atingir essa posição, o Instituto para Economia e Paz classificou os países de acordo com o nível de criminalidade, envolvimento em conflitos e grau de militarização.

- Existe algo chamado Lei da Jante no país, não é uma lei constitucional mas é levada muito a sério pela população. De acordo com ela, ninguém é mais especial do que ninguém e todos devem e merecem ser tratados da mesma maneira. Contar vantagem ou querer aparecer mais do que os outros são hábitos mal vistos pela população.