Amanda Areias

Programadora e designer gráfica por profissão, viajante por paixão e feminista por necessidade.​

Mochileira desde os 17 anos, sempre em busca de lugares, culturas e pessoas novas.

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon

Kjerag | Um dos momentos mais assustadores da minha vida


Em maio de 2014 eu e mais quatro amigos passamos 10 dias viajando e acampando pela Noruega. Fiz um post contando sobre essa viagem aqui.

O post de hoje vai ser sobre o ponto mais alto da viagem (literalmente, rs): a subida ao Kjerag.

Kjerag é um dos fiordes mais famosos da Noruega, ele é conhecido especialmente por causa de uma foto muito famosa entre os turistas que viajam para lá: a da pedra entre as montanhas.

A cidade que as pessoas costumam dormir um dia antes de fazer a trilha se chama Stavanger. De lá, na alta temporada, saem ônibus turísticos para Øygardstøl, que é onde a trilha começa. Nós fomos em maio, que ainda não é alta temporada, mas como estávamos de carro não tivemos nenhum problema com transporte.

A trilha dura, no total, em torno de 6 horas e não é nem um pouco fácil, além de ser relativamente perigosa. Mas vale a pena encarar.

Eu não sou uma pessoa fisicamente ativa, nunca pratico esportes, então pra mim foi mais difícil ainda. Mas se eu consegui, então qualquer pessoa em condições físicas mínimas também consegue, rs.

Em algumas partes a trilha fica muito inclinada, e você tem que escalar se segurando em umas correntes que têm lá.

Mas a estonteante vista dos fiordes fazia todo o cansaço diminuir muito.

Nós não imaginávamos ver tanta neve na trilha, então não estávamos preparados; estávamos todos usando tênis de corrida comuns e ficamos com os pés encharcados, o que foi um pouco incômodo por causa do frio. Mas apesar do perrengue adicional, a neve deu um toque a mais no visual, principalmente quando cachoeiras passavam por baixo dela.

Apesar da trilha ser inteira marcada com um T vermelho nas pedras, nós nos perdemos bastante no final dela. Havíamos chegado ao topo, mas não estávamos encontrando a pedra suspensa.

Ficamos uns 20 minutos procurando, e depois a encontramos.

Por ver tantas fotos de pessoas em cima da pedra, não imaginei que fosse perigoso subir nela. Achei que a foto dava um toque a mais de medo, mas que ao vivo ela seria grande e bem tranquila de subir.

Mas não. É tão desesperador quanto parece. Eu fui engatinhando até a pedra e me levantei nela com as pernas tremendo muito, o que aumentava mais ainda as minhas chances de cair. Foi com certeza um dos momentos mais apavorantes da minha vida. Para cair de lá era muito fácil, qualquer passo em falso você cai de 1100m. Mas eu não poderia ter chegado até lá em cima e não subir na pedra.

Quando voltei da pedra a minha adrenalina havia subido tanto que fiquei com a sensação de poder voltar correndo a trilha inteira em dez minutos, rs.

Além da pedra suspensa, também tem um lugar lá em cima chamado de "O Nariz da Montanha". É uma pedra que fica pra fora da montanha, bem legal.

A volta foi mais difícil que a ida, estávamos todos muito cansados e com os pés encharcados. Mas depois de algumas horas conseguimos chegar ao final.

Ainda por cima tive que dirigir por mais algumas horas depois da trilha, até encontrarmos um camping.

Leia mais sobre a viagem à Noruega aqui.

#Viagem #Noruega #Kjerag